Foto ilustrativa

Live Projeto Brazilinas com Flavia Campos

O Projeto Brazilinas que tem o objetivo de reverberar sororidade e ajuda prática para mulheres em situação de vulnerabilidade social tem realizado Lives no Instagram @projeto_brazilinas com mulheres inspiradoras e a convidada da terça-feira, 2 de junho, é Flavia Campos, publicitária, estrategista, escritora, autora, feminista, humanista e mãe do Theo-, que acaba de lançar, pela Editora Patuá, seu primeiro livro de poesia, de nome “Coragem – Substantivo Feminino”. São 177 poemas, impregnados de amor, generosidade e imensidão, inspirados na coragem transformadora das mulheres. Cada texto mostra que a poesia é maior do que o medo e que a sororidade tem o poder de salvar as pessoas de um possível deserto interior.

O livro, pautado pela ciranda inexata e infinita que torna as mulheres uníssonas e capazes de seguir adiante, a despeito do não, nasceu corajosamente de um projeto que Flavia já faz há dois anos, chamado #TodoMundoéPoesia. Nele, mulheres do Brasil inteiro contam suas histórias de vida e de luta, as quais são transformadas em poemas pela autora.

A primeira parte da obra aborda a capacidade inesgotável de amar, de arder e de saltar de alturas incalculáveis para chegar às profundezas de cada abismo. A segunda explora a coragem necessária para lutar por tudo que é direito da mulher e que, mesmo em tempos atuais, ainda encontra barreiras.

“Escrevi ‘Coragem – Substantivo Feminino’ porque não tive escolha. Aos 43 anos, os poemas me tiraram para dançar sem direito de recusa. Todo o material foi escrito silenciosamente aos gritos. Não era mais possível conter as palavras depois que elas tornaram-se o meu maior desejo. Tive medo de escrever e escrevi para não ter medo. As palavras, plantadas em cada página, anunciam que a jornada feminina será cumprida, apesar dos muros, das fronteiras invadidas, do machismo, dos desalmados, dos covardes e fingidores”, afirma a autora do livro.

Flavia faz questão de enaltecer e agradecer a poetisa pernambucana Luna Vitrolira, responsável pelo prefácio de seu livro. Luna começou a recitar poesias aos 15 anos, depois passou a divulgar seus próprios escritos e, em 2018, lançou “Aquenda, o amor às vezes é isso”, indicado ao Prêmio Jabuti 2019.

“É apaziguador quando alguém nos olha, nos ouve e nos transforma em poesia. Tudo acontece com muito amor e empatia e sem custo algum para todas as mulheres envolvidas no projeto. Nós, mulheres, falamos um idioma que só domina quem precisa de coragem para sobreviver”, afirma Flavia, que também se considera uma mulher forte, assim como outras milhares que admira, mesmo de longe.

Em sua página no Instagram @palavranuaflaviacampos, que tem atualmente mais de 40 mil seguidores, com público 95% feminino, já é possível conferir alguns dos poemas realizados.

Flavia Campos nasceu em Bom Despacho, interior de Minas Gerais, em 1975. Usa sua poesia como ferramenta de luta contra o machismo, o racismo, a misoginia, a opressão e os preconceitos enraizados numa sociedade patriarcal. Acredita na cultura como um dos mais poderosos agentes de (r)evolução da sociedade.

“Coragem – Substantivo Feminino” está à venda na Amazon e no Site da Editora Patuá, por R$40 (Frete grátis na Patuá durante a quarentena).

Sobre o Projeto Brazilinas

O Projeto Brazilinas foi idealizado por Daniele Costa que no início da quarentena sentiu o chamado para de alguma forma contribuir com mulheres que vivem em situação de vulnerabilidade social.

A inspiração para o projeto e o nome Brazilinas veio de sua sogra Brazilina que era assistente social e atuou no Rio de Janeiro desenvolvendo trabalhos com mulheres. Sua sogra é falecida, mas foi quem a inspirou. Daniele então convidou outras mulheres para formarem um Coletivo e iniciassem os trabalhos ainda no período de distanciamento social para ajudar com as principais necessidades do momento.

Atualmente o projeto Brazilinas está com duas campanhas na plataforma Solidário Brasil. Uma para a Casa Noeli que abriga mulheres vítimas de violência doméstica em Ariquemes, Rondônia, e outra para o programa Apolônias do Bem que reúne dentistas voluntários no atendimento odontológico para mulheres que sofreram agressões e tiveram rosto, boca, dentição atingidas.

https://solidariobrasil.com.br/projeto/brazilinas-ro-casa-noeli

https://solidariobrasil.com.br/projeto/brazilinas-sp-apolonias-do-bem

Informações para imprensa sobre o Projeto Brazilinas

Suzana Elias Azar
11 996290173
suzanicesblog@gmail.com

Informações para imprensa sobre Flavia Campos
José Roberto de Ponte
11 99638-4740
joseroberto.ponte@gmail.com